quarta-feira, 20 de julho de 2016

A grande esperança cristã, segundo as Escrituras.


Pra que Promessa maior que a oferta da Vida ETERNA no Reino das Luzes de Deus Pai, que nunca se apagam?

Portanto, é a Esperança pela Fé que move o cristão verdadeiro!  As Promessas de Deus Pai são validadas pela Esperança, e esta é condição de Fé para ser vivida, pois se o Senhor Deus surgisse perante você, como surgiu perante Moisés, lhe avisando que para se salvar deve guardar os seus Mandamentos e viver pela Graça de Jesus, certamente você abandonaria todas as coisas do mundo material e viveria a plena santidade do cristianismo ao limite. Por isso a fé, o crer sem ver, é altamente importante e produtivo sob todos os aspectos possíveis e impossíveis, pois farão das Promessas uma realidade absolutamente fantástica, ou mais ainda: Inefável


Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência ao papado romano de tantos erros. Siga o Link:

 http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

 “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim também como eu guardo os Mandamentos de meu Pai, e no seu amor permaneço”.  João, 15.10.

Mas não se engane ou se deixe enganar por aqueles pastores que ensinam que a salvação vem pela fé, pela Misericórdia de Jesus, pois não é assim tão fácil, pois a Verdade de Deus diz diferente:


“Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo”. Mateus 24:13
“Se ao justo é difícil a salvação, o que será do ímpio e o pecador? 1 Pedro 4:18

 “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim também como eu guardo os Mandamentos de meu Pai, e no seu amor permaneço”.  João, 15.10.
Os que se apegam na salvação pela fé, se esquecem de que a fé será nula se faltar a OBEDIÊNCIA A DEUS PAI NA GUARDA DE SEUS MANDAMENTOS QUE SÃO DEZ, E Jesus mostra isso no exemplo Jovem Rico.

Sabendo-se que o que mais importa ao mortal é a Salvação na Eternidade. vamos, ver o que Jesus nos ensinou a respeito da Salvação, ao revelar isso ao Jovem rico?

Um jovem muito rico ficou impressionado com o carisma de Jesus, e achegou-se a ele:
-- "Mestre, como farei para me salvar?"
-- "Guarda os Mandamentos".   A seguir, Jesus cita alguns dos mandamentos para deixar bem claro que se referia ao Decálogo do Monte Sinai.
Note bem: Jesus acabou de nos ensinar que a Primeira condição para a Salvação é a OBEDIÊNCIA A DEUS PAI
O Jovem, um tanto animado, retrucou:
-- "Senhor, eu já os guardo desde a minha infância".
-- Então te falta uma coisa: Vá, venda suas propriedades e distribua aos necessitado, e terá no Reino de Deus um tesouro. Tome a tua cruz e me siga".
Note bem: Jesus acaba de nos revelar que, mesmo sendo a guarda dos 10 mandamentos -- a Obediência a Deus Pai --, a Primeira condição para a Salvação é a OBEDIÊNCIA A DEUS PAI a Segunda Condição: O AMOR. O amor de 1 Coríntios 13:13 onde está revelado ser o amor de caridade maior que a fé. O amor de servidão aos semelhantes a ponto de servi-lo nas necessidades, materiais e se possível até espirituais.
Portanto, Jesus nos revelou acima exatamente o Resumo dos 10 mandamentos em dois: A Lei do Amor: Amar a Deus de todo o coração, onde a OBEDIÊNCIA tem de estar presente, e Amar o semelhante na prática de boas obras de caridade.
Para quem julga que as obras realizadas por amor ao próximo não salvam, basta ler Mateus 25:31 a 44 onde Jesus nos revela a SALVAÇÃO PELAS OBRAS DE CARIDADE e a CONDENAÇÃO PELA FALTA DELAS.
Mas voltando ao jovem rico, ele ficou extremamente transtornado porque não aceitou desligar-se de sua fortuna, pois tinha muitas propriedades, muito Rico segundo Lucas 18:23. Ele se apegou a uma simples gotinha de água (que representa o tempo de nossa vida) e desprezou os Oceanos de todo o mundo (que representam a Eternidade).  O tempo da vida dele foi tão curta que já se passaram uns dois mil anos que se foi.
Portanto, você que preza a Salvação, não vá pelos pastores padres ou anciãos, a maioria mais que absoluta deles que tentam ganhar a Salvação guardando oito ou nove dos mandamentos de Deus (o que foge da OBEDIÊNCIA A DEUS PAI)  e se apegam na fé e na misericórdia de Jesus, mas fogem da SEGUNDA CONDIÇÃO PARA A SALVAÇÃO: O amor se servidão aos semelhantes.

Note bem: Jesus acaba de nos revelar que, mesmo sendo a guarda dos 10 mandamentos a Primeira Condição para a Salvação  (a OBEDIÊNCIA A DEUS PAI)  a Segunda Condição: O AMOR. O amor de 1 Coríntios 13:13 onde está revelado ser o amor de caridade maior que a fé. O amor de servidão aos semelhantes, a ponto de servi-lo nas necessidades, materiais e se possível até espirituais, representa a metade dos merecimentos para alcançarmos a Eternidade.
Portanto, Jesus nos revelou acima exatamente o Resumo dos 10 mandamentos em dois: A Lei do Amor: Amar a Deus de todo o coração, onde a OBEDIÊNCIA tem de estar presente, e Amar ao semelhante na pratica de boas obras de caridade.
Para quem julga que as obras realizadas por amor ao próximo não salvam, basta ler Mateus 25:31 a 44 onde Jesus nos revela a SALVAÇÃO PELAS OBRAS DE CARIDADE e a CONDENAÇÃO PELA FALTA DELAS.
Mas voltando ao jovem rico, ele ficou extremamente transtornado porque não aceitou desligar-se de sua fortuna, pois tinha muitas propriedades. Ele se apegou a uma simples gotinha de água (que representa o tempo de nossa vida) e desprezou os Oceanos de todo o mundo (que representam a Eternidade).  O tempo da vida dele foi tão curta que já se passaram  uns dois mil anos que se foi.
Portanto, você que preza a Salvação, não vá pelos pastores padres ou anciãos, a maioria mais que absoluta deles que tentam ganhar a Salvação guardando oito ou nove dos mandamentos de Deus (o que foge da OBEDIÊNCIA A DEUS PAI)  e se apegam na fé e na misericórdia de Jesus, mas fogem da SEGUNDA CONDIÇÃO PARA A SALVAÇÃO: O amor de servidão aos semelhantes.

Eis a Sapientíssima Sabedoria de Deus Pai, Veja como ele é BOM quando nos bridou com as 10 Leis:


Segundo as Escrituras, a importância que o Senhor Deus atribuiu ao Decálogo foi tão extensa, grandiosa, sublime, marcante, extraordinária que, diferente de seus procedimentos anteriores quando ordenava a seus profetas escreverem suas palavras para a posteridade, desta vez ele fez questão de escrever, pessoalmente, também para a posteridade, nos altos de um monte (Êxodo19:18), num espetáculo indescritível, não nos papiros que se dissolvem, mas com o fogo de seu olhar, com palavras cravadas, fundidas profundamente em rochas sólidas para que nunca se apagassem, todas as suas leis, uma a uma, regulamentos resumidos, mas absolutamente perfeitos e suficientes para nortear o homem em suas ações, concedendo à Humanidade a grande e maravilhosa chance de viver sem problemas, sem tribulações pois se todos obedecessem a todas as leis do Decálogo, os seres humanos estariam a viver num mundo de sonhos: todos se respeitariam, não haveria criminosos, nem a necessidade de grades, de trancas, de polícia, de exércitos armados e de qualquer tipo de armas  e artefatos feitos para conflitos e guerras, o mundo seria muito mais saudável, não haveria pobres muito pobres, como também o Senhor Deus seria muito mais honrado e glorificado e, certamente,  a paz sobreviria sobre a Terra inteira.


Na busca de sua Eternidade, pense, medite e raciocine bastante sobre isso tudo!

A Grande e inefável Promessa:


Ao revelar a GRANDE PROMESSA antes, Jesus se identifica como o Filho de Deus:


“Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, credes, também, em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu não lhes teria dito. Pois vou preparar-vos um lugar. E quando eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde estou, estejais vós, também”.  Jesus, no Evangelho de João, 14. 1.a 3.

Antes de entrar no mérito da Grande Promessa, temos de ter em conta o fato de que Jesus reuniu um grupo de amigos, necessariamente pobres, e por três anos inteiros andou com eles, ensinou-os, lhes concedendo mil exemplos porque os 12 simbolizavam a Humanidade que o Mestre viera para salvar das trevas, pois ele foi a Grande Luz que veio destruir das Trevas da ignorância. Portanto, tudo o que Jesus prometeu e repassou aos seus apóstolos teve como objetivo direto a todos os demais mortais, e a você também..

Não fosse assim, a Nova Mensagem nos trazida pelo Verbo de Deus Jesus Cristo fosse dirigida apenas aos apóstolos dele, o Evangelho teria de ser visto apenas como um livro simplesmente histórico, sem heranças, sem promessas.

O cristão vive o cristianismo pela promessa de Jesus. Realmente, não há como fugir da esperança, pois só há esperança onde não há visual. Só podemos ter esperança nas coisas que não se vêem. E é exatamente vivendo pela esperança que nós alcançaremos a Eternidade Feliz.

João 14:1-3 é uma maravilhosa promessa, pois visa a grade promessa da entrada no Reino de Deus Pai. Você já pensou longamente no significado Eternidade? É uma coisa louca! Nunca se acaba... Jamais terá fim... Pra sempre... Pra sempre... Por isso mesmo é necessário viver segundo as Escrituras para alcançar esse Prêmio INEFÁVEL! Podemos alcançar a Eternidade dos sonhos num tempo curto de algumas dezenas de anos ou até um pouquinho mais.

No entanto, aqueles que julgam que quando uma pessoa falece haverá um julgamento particular para ela, sendo depois disso confinada no Inferno ou elevada ao Reino de Deus por merecimento, e até  levada ao fantasioso Purgatório católico, digo a vocês que NÃO EXISTE na Bíblia uma só linha que aponte o julgamento particular para cada pessoa, mas segundo o próprio Jesus em Mateus, 25.31, quando ELE VOLTAR à Terra, vai reunir TODAS AS NAÇÕES, desde Adão e Eva e, julgando a todos, separará as ovelhas dos cabritos e depois, sim, cada um será justiçado pela Balança da Justiça, pelo Livro da Vida e seu endereço ficará por conta da vida que levou:

“E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras”.      Apocalipse 20:12.

Vamos então, novamente à Grande Promessa de Jesus, que também nos revela que por enquanto não existe uma só alma humana no Reino de Deus. Primeiramente Jesus se identifica como falando por Deus Pai, afinal ele veio como o Verbo de Deus

Nunca é demais repetir a Grande Promessa:

“Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, credes, também, em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu não lhes teria dito. Pois vou preparar-vos um lugar. E quando eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde estou, estejais vós, também”.  Jesus, no Evangelho de João, 14. 1.a 3.

Poucas horas antes de seu martírio, Jesus afirma aos seus discípulos que vai subir ao céu, vai preparar um lugar aos seus amigos, que somos nós também, pois tudo o que disse aos apóstolos vale para todos os cristãos de todas as gerações. 

Por muitas vezes Jesus afirmou que voltará, assim como os anjos afirmaram aos discípulos de Jesus e a nós por herança:

“Varões galileus, por que estais a olhar para as alturas? Esse mesmo Jesus que dentre vós foi elevado aos Céus, voltará do modo como o viram subir”. Atos dos Apóstolos, 1.10.

Portanto, de acordo com as promessas de Jesus no Evangelho de João, capítulo 14, o Messias preparou para cada um que merecer um lugar no reino de Deus cujos merecimentos estão bem delineados em Mateus, 25.31 a 44., na Parábola do Rico e Lázaro, na Parábola do Samaritano, no Evento do Jovem Rico e por toda a Escritura. 

Portanto, conforme o próprio Jesus revelou: Ninguém subirá ao Céu antes do Dia da Volta dele, o Dia da Justiça final.  Nessa mesma promessa afirmou que haverá moradas para todos os que quiserem participar da Grande Vitória.

 “Na casa de meu Pai há muitas moradas”.

Meu blog mostrando que ninguém subiu ao Reino de Deus, nem Maria, nem "santos" e "santas" nem Elias, nem Enoque senão Jesus:



Naquele momento como seus amigos, Jesus sabia que seria entregue à injustiça do mundo para ser martirizado e,  por esse suplício, ao que gosto de chamar de O Grande Sacrifício do Cordeiro de Deus, abriria os Portais do Reino de Deus a todos os que fizerem por merecer, ou seja, os que viveram pelos preceitos na Palavra Escrita, pelo Evangelho, que também significa Boa Nova.  De acordo com os mistérios do Senhor, se Jesus não tivesse derramado  o seu sangue pela humanidade, ninguém se salvaria na eternidade.

A ESPERANÇA:

o se perturbe o vosso coração...”.  (Não se desesperem por eu ter de abandoná-los nesse momento. Mantenham permanente a esperança, porque o prêmio sendo inefável, não se pode descrevê-lo com palavras!).

A FÉ MOVE A ESPERANÇA:

Credes em Deus, credes, também, em mim....

“Se acreditais em Deus Pai, acreditais em mim, o Filho. Eu vos falo por Deus, por isso acreditem”.

Portanto, é a Esperança pela Fé que move o cristão verdadeiro!  As Promessas de Deus Pai são validadas pela Esperança, e esta é condição de Fé para ser vivida, pois se o Senhor Deus surgisse perante você, como surgiu perante Moisés, lhe avisando que para se salvar deve guardar os seus Mandamentos e viver pela Graça de Jesus, certamente você abandonaria todas as coisas do mundo material e viveria a plena santidade do cristianismo ao limite. Por isso a fé, o crer sem ver, é altamente importante e produtivo sob todos os aspectos possíveis e impossíveis, pois farão das Promessas uma realidade absolutamente fantástica, ou mais ainda: Inefável!

Mas não se engane ou se deixe enganar pelos fariseus modernos, pois lembre-se de que os Mandamentos de Deus Pai são 10 e Jesus, em João 15:10 NOS EXORTA A GUARDAR OS MANDAMENTOS assim como ele os guarda!

 “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim também como eu guardo os Mandamentos de meu Pai, e no seu amor permaneço”.  João, 15.10.

 A PROMESSA:

“Na casa de meu Pai há muitas morada.  Se assim não fora, eu não lhes teria dito...”.

O cristão vive da promessa de Jesus. Realmente, não há como fugir da esperança, pois  referente à espiritualidade, só há esperança onde não há visual. Só podemos ter esperança nas coisas que não se vêem, assim como o Evangelho nos revela:

“...não se atentando nós, nas coisas que se vêem, mas nas que não se vêem; porque as que se vêem são passageiras, e as que se não vêem são eternas”.  O Evangelho de Paulo, em 2 Coríntios, 4.18

O Céu e a salvação nós não podemos ver; mas pela esperança, cremos, de todo o coração, que, conforme Jesus, lá no alto há um lugar da Verdadeira Felicidade para nós e para os nossos, se fizermos por merecer, pois Jesus, a Suprema Autoridade na Terra, falando em o Nome de Deus, nos garante isso, com todas as letras:

 “Se assim não fora, eu não lhes teria dito...”.

“...E quando eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde estou, estejais vós, também”.

Aqui Jesus nos revela o grande objetivo da esperança: Um lugar no Céu, pela  Eternidade, prometido por ele quando voltar à Terra, no Dia da Grande Justiça, o Dia da Justiça de Deus que não encontramos nos homens.  Por isso mesmo, os cristãos não se desesperam por ocasião de qualquer tribulação, ao contrário do descrente que se desespera na tribulação, e alguns até se suicidam.  Mas com o cristão é bem diferente, pois ele tem esperança, acredita piamente na esperança. A Esperança traz certa alegria até nos momentos de infelicidade.  O justo de Deus vê bênçãos de Deus até na velhice.

Em geral, as pessoas materialistas -- pelo fato de darem mais importância à matéria que ao espírito, ao visível que ao espiritual -- sofrem mais que as outras quando vêem o seu corpo matéria envelhecer, definhar, não obstante os permanentes cuidados para que, mesmo aparentemente, seja retardado o envelhecimento.  Mesmo com a prática intensa de exercícios físicos, de cuidados geriátricos e até das intervenções cirúrgicas, a velhice avança implacavelmente, sem tomar conhecimento de que aquele corpo seja de rico ou de pobre porque, progressivamente, vai sendo tomado pelas rugas e pelos efeitos na pele pela lei da gravidade,  qual um alerta que está próximo o seu fim. 

Muitos desses vêem a velhice, e por conseqüência a morte, como uma detestável ceifadeira, que implacavelmente vai separá-los fisicamente do dinheiro, do conforto, do luxo e do patrimônio que conseguiram ajuntar, e de forma alguma se conformam com a certeza de que outros passarão a administrar à maneira deles os seus negócios,  o seu patrimônio e as conquistas que brilhantemente acumularam.  Em alguns casos, sentem ciúme até mesmo quando esses possam ser seus próprios filhos.  Na verdade, esses, embora não admitam, no fundo de seus corações existe um acentuado inconformismo com a perspectiva da morte. 

Porém, diferente ocorre com o sábio.  O sábio está acima de todas essas preocupações.  Ele compreende que a morte na verdade nem existe porque, se ele é, também,  um espírito criado por Deus, então, já está vivendo a sua eternidade. Por ora, seu espírito ocupa um corpo escolhido por Deus para que possa passar no teste terreno. Se o espírito é absolutamente mais importante do que a matéria, por conseguinte, vê o corpo como uma embalagem descartável.

O brilhante escritor  Pierre Teilhard Chardin definiu bem, essa embalagem do espírito:

“Nós não somos seres humanos que têm uma experiência espiritual. Nós somos seres espirituais que têm uma experiência humana. Nós só temos que acreditar. E quanto mais a realidade parecer ameaçadora e difícil, mais firme e urgentemente nós temos que acreditar. Marie Joseph Pierre Teilhard de Chardin, ex-padre católico e brilhante escritor, teólogo, filósofo francês.

Ou seja, nós somos mais espírito que matéria. Por isso é necessário cuidar muito mais do espírito que da matéria corpo.

O verdadeiro sábio vê a vida no sentido da espiritualidade e tem consciência de que o seu espírito eterno,  no presente momento,  tão somente ocupa um corpo matéria perecível, como também sabe da necessidade de conservá-lo naturalmente, sem plásticas ou artifícios químicos, até quando o Senhor Deus Pai quiser.  Somente enquanto permanecer nesse corpo passageiro é que conseguirá obter merecimentos para ingressar no reino de Deus e, por isso, jamais renegará, nem se aborrecerá com as etapas físicas da vida que o seu corpo frágil terá de passar.  

O sábio não temerá a velhice, pois estará ciente da importância da velhice, que pode ser vista até como um prêmio divino,  pois por ela, a aproximação de Deus se reforça, o que seria mais difícil de acontecer se não houvesse a velhice que é um sinal que seu tempo está no fim.

O sábio saberá que o seu rosto estará com rugas, todavia, o seu espírito, a imagem da semelhança com Deus, que nunca envelhece, estará intacto, sempre belo, resplandecente, com a luz de Deus refletindo sobre ele. O espírito do homem, da mulher, não importa a sua aparência, foi criado belíssimo para preferencialmente viver no Reino de Deus a ali tudo é belo e fascinante. 


O sábio saberá que o tempo de vida física de seu corpo ocupada por sua alma que poderá ser eterna, segundo seus merecimentos, está mais para uma gota d’água como o oceano inteiro está para a eternidade. Por tudo isso, o sábio tem pressa e cuidado em aproveitar cada dia desse tempo brevíssimo, para obter merecimentos, praticando o real sentimento cristão, principalmente, quanto aos preceitos que dizem respeito à fé que leva a agir em virtude do seu semelhante (Mateus, 25.40).

JESUS, A REALIDADE CONSISTENTE:

“O povo, que jazia em trevas, viu a grande Luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a Luz”.  O Evangelho, a respeito de Jesus, a Luz do mundo, em Lucas, 4.16.

O cristão sabe que a vida no corpo, lapso fugaz, bem pode ser comparada a uma gota de água no oceano. Uma gota de água no oceano nada significa em termos de volume. Da mesma forma, o tempo do corpo nada significa em termos da eternidade de Deus, por isso, nunca se desespera nas tribulações, pois sabe que são passageiras, como sabe, também, que tal como o descrente, o cristão também passa por tribulações, mas com a diferença que passa pelas dificuldades da vida com esperança.  A esperança é Jesus!  É assim que canta uma canção:

Não há esperança alguma
Para o mundo onde Deus não está
Não há esperança de amor e de paz
Onde o ódio deixa marcas fatais
Não há esperança de vida
Naquele que não ama a Deus,
Não há esperança de um mundo de paz
Se o homem deixa Deus para trás.
A esperança é Jesus
Ele é o caminho
A esperança é Jesus

A esperança é Jesus
Segurança de salvação
A esperança é Jesus,
Só há esperança e certeza
Naquele que é vencedor
Para o povo que não tem mais amor
A esperança é Jesus
Ele é o caminho
Nossa luz entre espinhos;
A esperança é Jesus
Onde o mundo pode achar solução,
A esperança é Jesus

Outra grande promessa:

“Crê no Senhor Jesus, e serão salvos tu e tua família”.  Atos, 16.31.

Se você viveu os preceitos de Jesus, pelo menos ao final de sua vida, mas de todo o seu coração, não se preocupe com aquele filho, com aquela filha, com sua esposa que ainda não se converteram, porque o Senhor é fiel aos que lhe são fiéis e, se cumpre todas as suas maldições aos ímpios incorrigíveis, cumpre, também todas as suas promessas aos justos.

Prometeu isso face a face com o homem, quando instituiu solenemente os Dez Mandamentos:

“O Senhor falou conosco face a face, no monte, no meio do fogo”. Deuteronômio, 5.4.

A seguir:

“Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima, nos céus, nem embaixo, na terra, nem nas águas debaixo da Terra. Não as adorarás, nem lhes prestará culto; porque eu, o Senhor, teu Deus, sou o Deus Zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus Mandamentos”. Deuteronômio, 5.7 a 9.

Mas o clero católico e ortodoxo "cancelaram" esse importantíssimo mandamento, pois diz da Obediência a Deus Pai, fugindo da idolatria a imagens e estátuas.

Portanto, guardar todos os Dez Mandamentos traz imensas bênçãos. No primeiro recado aos homens, no Sermão da Montanha, em Mateus, 5.17 e seguintes, Jesus legitimou, da forma mais consistente possível, esse recado de Deus, de modo completo, registrado em Deuteronômio 5:7 a 21, no qual está, também, inserido a guarda e a santificação do sábado:

“Lembra-te de santificar o dia do sábado. Trabalharás durante seis dias e farás neles todas as tuas obras. O sétimo dia, portanto, é o sábado do Senhor e não farás nele obra alguma. Porque o Senhor santificou e abençoou o dia de sábado. Não farás nele trabalho algum, nem teus filhos, nem teus servos, nem teus animais. Porque, em seis dias, fez o Senhor os Céus e a terra, o mar e tudo o que há neles e, no sétimo dia descansou, por isso, o Senhor abençoou o dia de sábado e o santificou".  Êxodo 20:8.

Mas a maioria absoluta de católicos, ortodoxos e incrivelmente até evangélicos, os da Bíblia, mas mais ou menos da Bíblia, rejeitam esse que é o MAIS IMPORTANTE dos mandamentos de Deus Pai, pois é o único nomeado por ele como SOLENE, SANTO E BENDITO e ainda instituído como UM SINAL entre ele e a Humanidade, já que Está Revelado que Deus não faz distinção de pessoas ou de raças, pois todos são iguais perante ele.

Vede: Proponho-vos hoje  Bênção ou Maldição.  Bênção se obedecerdes aos mandamentos do Senhor. Maldição  se não obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus...   O Senhor, em Deuteronômio,   11.26. Os mandamentos são dez. 

O Senhor Deus nos ORDENA a guardar TODOS os mandamentos:


Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para não cuidares em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão”.  Deuteronômio 28:15 

Então, para merecermos a GRANDE PROMESSA, um lugar Eterno no Reino de Deus, são necessárias duas condições sinequanon:  A Obediência a Deus Pai e a vivência do amor de caridade aos semelhantes, pois só é possível AMAR A DEUS amando e servindo primeiramente aos necessitados, tanto na parte material, como espiritual, pois quem tira uma pessoa do erro SALVARÁ  de si UMA MULTIDÃO DE PECADOS:


“Saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados”. Tiago 5:20




Waldecy Antonio Simões    walasi@uol.com.br

Todos os meus escritos são livres para publicações, desde que os textos não sejam modificados.


Meus  blogs:













http://ainfalibilidadedospapasewabsurda.blogspot.com.br/





























                                                          













































                            












 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43